sábado, 21 de maio de 2016

Não tanto quanto eu


  Hoje eu aprontei arte! Mas não daquelas que se apanha, foi daquelas que se aplaude. Quem ouviu gostou, quem não ouviu talvez nunca ouvirá. Eu me aconchego na timidez e facilmente me desfaço do que faço. Mas por quê, se não é crime nenhum tecer algumas melodias ou qualquer outra coisa que se queira apresentar? Preciso dar um jeito nesses meus grilos, porque são realmente meus. Na verdade, ninguém se importa, ninguém repara, não tanto quanto eu. Sendo assim, não espero mais estar pronta, espero apenas ter coragem, porque pronta mesmo eu acho que nunca vou estar. E quem é que está? Ninguém nasceu correndo! Portanto, vou engatinhar... não sei aonde vou chegar, mas vou engatinhando até me encontrar.

Ester Xavier





4 comentários:

  1. Olá Ester, tudo bom?
    Amei o texto, precisamos ter mais coragem de por em pratica o que jugamos ser o certo. Por tantos temores, nos desviamos muitas vezes do nosso caminho.
    Um abraço!!!
    Paz e Luz!!!

    ✿Te Marquei em uma tag, visita lá.

    Anna Lírios em Letras

    ResponderExcluir
  2. Até agora,de todas que eu li, essa foi a sua poesia que eu mais gostei,Ester. Descobri seu blog hoje.Continue escrevendo!Parabéns!😊

    ResponderExcluir