sábado, 8 de agosto de 2015

A loucura do meu pai

 
      Desde pequena, ouço rumores sobre a loucura do meu pai. Embora eu nunca a tenho notado, sabia que de fato alguém tão especial não poderia mesmo ser normal. Frequentemente, o via fazendo rabiscos ou trazendo da rua objetos sem sentido, mas que para ele eram peças imprescindíveis. Era engraçado vê-lo juntando uma coisa aqui, outra ali... e depois de um pequeno espaço de tempo surgiam engenhocas que produziam até comida!
    Lá na rua em que cresci, apesar das habilidades de pedreiro do meu pai, nossa casa era uma das mais simples. Nas janelas, por exemplo, faltavam alguns vidros, mas ele não focava no que não se tinha, antes, nos estimulava a aproveitar a ocasião, e nesse caso, o vento bom que o "buraco" trazia. 
    Para finalizar minha singela homenagem, quero deixar registrado aqui, que o "doido" do meu pai conseguiu realizar um de seus maiores desejos na vida. Atualmente, ele curte o sonho que loucamente sonhou e segue seu caminho repetindo suas estranhas e loucas manias... Ah, meu pai, sua "insanidade" realmente me fascina!
   
 Ester Xavier


2 comentários:

  1. Que lindinho Ester!Meu pai também é meio"doido" kkkk...a gente também não fica longe dizem que musico é doido,num é?!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que bom que você gostou, Ailma! Também acho que não estamos longe disso, na verdade, estamos mais perto do que podemos imaginar... Bjo!

      Excluir